HISTÓRIA E EPISTEMOLOGIA DA FÍSICA /

O QUE É UMA TEORIA

 

O termo mais mal compreendido em ciência é a palavra "teoria". Os céticos, que julgam impossível acreditar em ideias como a Teoria da Relatividade Restrita ou a evolução por Seleção Natural, sublinham por vezes que até mesmo os cientistas dizem que é "apenas uma teoria". Referem-se à maneira como usamos a palavra na linguagem corrente para significar uma especulação (provavelmente insensata). "O meu irmão tem uma teoria segundo a qual a equipe de futebol inglesa marcaria mais gols se os jogadores usassem calções mais compridos". Mas em ciência, o nome a dar a tal idéia não comprovada, possivelmente insensata, é uma hipótese.

Uma teoria é uma idéia que começou por ser uma hipótese, mas que foi testada pela experiência e pela observação do mundo real, e passou todos os lestes a que foi sujeita. Logo que uma teoria falha em um teste experimental ou observacional falando estritamente, tem de ser substituída por uma teoria melhor, mais completa. Mas a velha teoria ainda pode ser útil numa área restrita, uma vez conhecidas as suas limitações.

O melhor exemplo é a gravitação. A teoria da gravitação de Isaac Newton pode ser usada para explicar coisas como a órbita da Lua em volta da Terra. ou predizer a trajetória de uma bola de basebol batida por um jogador. Não pode explicar propriamente o que se passa em campos gravitacionais muito fortes ou como a luz é curvada pelo Sol.

A Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein explica o que acontece em campos gravitacionais fortes e a curvatura dos raios de luz devida à gravidade. Assim, é uma teoria melhor. Mas continua ser mais fácil usar a teoria de Newton, se quisermos verificar a trajetória da bola de basebol.

 

Adaptado de:
"The Little Book of Science", por John Gribbin